Como escolher um bom corretor e realizar seus sonhos?

As condições de financiamento e acesso ao crédito, a estabilização da moeda e as leis de moradia através de aluguéis, propiciam maior autonomia das empresas que atuam no setor imobiliário, tornando o mercado de imóveis um investimento mais atrativo e de fácil acesso a uma maior parte da população.

Nesse cenário, a figura do corretor de imóveis torna-se ponto chave para quem procura por boas oportunidades de investimento, bem como o sonho da sua casa própria. É nele que será preciso confiar. A venda se dá numa relação de troca e confiança. Por isso, é preciso cautela e muita atenção quanto as ofertas no mercado. 

Recentemente, notícias mostraram pessoas que tinham adquirido imóveis na planta, e em muitos casos, era a aquisição do seu sonho, da sua vida e ao receber a decepção foi enorme. O  imóvel estava cheio de problemas, como paredes rachadas, infiltrações, materiais utilizados diferentes do prometido, etc. Como se precaver? Como saber se aquele profissional de vendas que lhe oferece o imóvel, no caso o corretor, está sendo honesto e realmente preocupado com o cliente? 

Não há como ter cem por cento de garantia de que, tudo o que foi prometido na venda de um produto ou serviço será realmente cumprido, mas, algumas características pessoais, podem nos ajudar a perceber se aquele profissional está interessado em prestar um bom serviço e tê-lo como cliente ou quer apenas receber sua comissão e de preferência nem saber se sua aquisição deu certo.

Então, como avaliar o atendimento recebido? Sugiro refletir com as seguintes questões:

  • Existe uma empatia,  um olhar direto nos olhos, fazendo com que eu perceba que, o corretor se coloca no meu lugar?
  • Antes de me ofertar qualquer produto ou serviço, sou questionado sobre "o que eu realmente preciso"?
  • Se a resposta foi positiva na questão anterior, o corretor me ouve com atenção? Ressaltando aqui, que ouvir com atenção vai além de escutar, é na verdade compreender o cliente.
  • Ao me atender há pressa e impaciência, ou tranquilidade e disposição em servir?
  • Ao estar em dúvida, sou pressionado(a) a fechar o negócio?
  • E talvez a questão mais importante: me sinto seguro e confiante de que há compromisso e honestidade quanto ao que me foi ofertado?



Percebidas como positivas todas estas questões, ainda devemos analisar que, nós clientes, de maneira geral, somos emocionais na hora da compra e muito ansiosos. Ainda que nos sintamos seguros, para não haver decepções futuras, é importante avaliar as ofertas com calma. Mesmo que haja pressão do tipo "aproveite, só vale por hoje". Com a mudança de cenário na economia e a maior quantidade de ofertas do que demanda, o consumidor experimenta a sensação de ser cobiçado e agradado o tempo todo, sentindo-se o rei (e assim deve ser),   porém corre o risco da ilusão com os maus profissionais e bajuladores.

O amadurecimento do mercado  e o respeito pelo cliente se dará também pela forma como nos comportamos como consumidores, exigindo nossos direitos e punindo o mau serviço com a indiferença.  Assim, procurar por profissionais qualificados e preparados em entregar um bom serviço garantirá bons negócios e satisfação de compra.

Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este Blog tem por finalidade abordar assuntos vários relativos às mudanças, destacando os serviços, marketing, clientes, empresas, artes e entretenimento.
Comentários, contribuições e sugestões serão muito bem vindas!